Livre-se dos ratos

Livre-se dos ratos

A presença de ratos em casa não é só um incômodo, mas um risco à saúde de sua família. Não saber como resolver o problema e tentar de qualquer jeito pode ser perigoso, pois alguns produtos químicos são tóxicos ou venenosos, mas existem medidas simples para se livrar desses intrusos sem ter que recorrer a tal tipo de produtos.

(mais…)

Medidas para você se manter longe das pragas

Medidas para você se manter longe das pragas

Pragas podem se instalar e gerar danos materiais significativos em casas, fábricas, restaurantes e lavouras. Após a Segunda Guerra Mundial começou-se o uso de agrotóxicos e o extermínio de pragas com o uso de substâncias químicas oriundas da indústria de armas da guerra, porém, a utilização indiscriminada dos praguicidas químicos, geralmente promove efeitos colaterais.

Dessa forma, o anseio por um equilíbrio de ações- que pudesse ser aplicado em áreas urbanas e industriais- levou ao MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS URBANAS, o qual um trabalho abrangente, ao incorporar recomendações preventivas e corretivas. As medidas preventivas compreendem a trabalhos de educação das pessoas e à implementação de Boas Práticas, que corresponde a um conjunto de normas importantíssimas na indústria de alimentos, fármacos, cosméticos e afins.

A aplicação do Manejo Integrado de Pragas prevê um conjunto das medidas abaixo descritas, as quais visam a eliminar ou a minimizar os riscos de ocorrência de insetos, roedores e outras pragas.

Segue as recomendações:

1) As instalações não devem ter:

• Possíveis pontos de entrada de insetos no ambiente, como falhas de vedação em tubulações, ralos sem proteção, portas e janelas mal vedadas, etc.;

• Azulejos mal assentados ou quebrados;

• Acúmulo de água em drenos, ralos ou caixas de inspeção;

• Vazamentos em dutos de água e torneiras;

• Falhas na manipulação e guarda de lixo;

• Presença de entulho, materiais fora de uso, caixas e embalagens mal armazenadas;

• Mato e gramas não aparados;

• Estrados com presença de infestações por cupim ou broca;

2) Lâmpadas fluorescentes das áreas externas próximas às portas devem ser trocadas por luz de sódio, que emitem menos radiação ultravioleta e atraem menos insetos;

3) Lâmpadas de luz de mercúrio podem ser utilizadas externamente desde que longe de portas, agindo como atrativas de insetos noturnos voadores para longe do local desejado;

4) Nas áreas de estocagem, deve-se manter distância mínima de 30 cm entre as paredes e os pallets de produtos; entre o piso e os pallets (estrado ou plataforma produzido de madeira, plástico ou metal), tomar distância mínima de 20 cm;

5) Quaisquer sinais de roeduras, fezes, trilhas, pegadas e ninhos de roedores devem ser notificadas, bem como carcaças de insetos, penas, ovos, odores de pragas, etc.;

6) Locais de acesso de pessoas/ funcionários devem ter telas ou cortinas plásticas;

7) Não devem existir resíduos que sirvam de alimento a aves, roedores e insetos;

8) Devem ser desenvolvidos programas de limpeza e higiene junto aos funcionários, familiares e comunidade;

9) Poeira e materiais deteriorados devem ser retirados;

10) Armadilhas luminosas devem ser providas de bandeja ou adesivo que previna queda de insetos eletrocutados nos equipamentos;

Publicado por: Fabiano de Medeiros
Marketing Digital Manaus

Combata as baratas em sua residência

Combata as baratas em sua residência

Para muita gente, são esses os sentimentos despertados pelas baratas, insetos que, embora pequenos e aparentemente inofensivos, têm a capacidade de aterrorizar principalmente as mulheres. Nove entre dez pessoas do sexo feminino simplesmente não suportam nem olhar para esses bichos. Mas, os problemas causados pelas baratas vão muito além das reações que elas provocam nas pessoas. (mais…)

Pragas Urbanas – Conscientização em Condomínios

Pragas Urbanas – Conscientização em Condomínios

Hoje, uma das melhores armas no controle de pragas em condomínios é a conscientização, quando aliada a um serviço de controle de pragas de qualidade, asseguram a tranquilidade dos condôminos e da população, além de zelar pela saúde pública. O ideal hoje é trabalhar não só hoje com o controle de pragas, mas com a conscientização da população, os condôminos e os condomínios em si. Hoje, para a população da praga é controlada, é necessário então que se aplique um produto que não agrida a população, os condôminos, que não se manifeste na população, na saúde dos animais, da saúde pública para se controlar de forma mais eficaz, e que não afete a bagagem hormonal das pessoas.

Medidas internas são as grandes aliadas

É muito importante que o setor de manutenção tenha cuidado por exemplo, com a caixa de esgoto. Que elas sejam bem vedadas, em condições, com tampas favoráveis. Existem condomínios que estão com todas as tampas quebradas. Outro ponto são as lixeiras. Todo condomínio tem que ter lixeira fechada e lavada diariamente, ou pelo menos no dia em que passa o coletor de lixo. Pontos como esses são essenciais para evitar a infestação de pragas nas redondezas.
As plantas do condomínio devem ser baixas, quando não são plantas ornamentais, para não favorecer o aparecimento de outros invasores como mosquitos e pernilongos.

A periodicidade no controle das pragas, a frequência na limpeza e higienização das caixas d’água são os maiores cuidados a serem observados em um condomínio.

É importante também sobre pragas urbanas, o tratamento de jardinagem dos edifícios. Muitos deles têm áreas grandes de jardim, com grandes problemas de formiga, que é uma praga que as pessoas não se preocupam tanto e que é uma das pragas que mais transitam por ambientes contaminados e podem transmitir a  nós seres humanos doenças que podem até matar.

Precisou? Procure a A Tropa de Elite Contra as Pragas | Franquia e-Control

ALERGIAS E DOENÇAS CAUSADAS POR PRAGAS URBANAS

ALERGIAS E DOENÇAS CAUSADAS POR PRAGAS URBANAS

Nem mesmo o desenvolvimento das grandes cidades excluiu os seres humanos da convivência com outros animais. Diversas espécies coabitam o ambiente urbano com o homem, no entanto, apenas aquelas que causam malefício ou desconforto podem ser classificadas como pragas. “O status de praga vai depender do que ela causa de malefício para o homem”, afirma Francisco Zozernon, pesquisador científico diretor do laboratório de pragas urbanas do Instituto Biológico

Segundo o especialista, são quatro as condições ideais necessárias para a sobrevivência das pragas urbanas: água, abrigo, alimento e acesso. “Se você não levar uma praga para sua casa dificilmente ela vai se proliferar”, explica Zozernon. As traças e os cupins, por exemplo, normalmente são levados para dentro das casas pelo próprio homem, através de caixas de papelão ou móveis velhos. “É difícil evitar esse tipo de praga. Por isso, é fundamental inspecionar o que se está levando para casa”, recomenda Zozernon.

Traças, cupins e pulgas

As Traças, segundo o pesquisador, podem ser identificadas em revista, livros, nas regiões de maior suor das roupas, como axilas ou golas, e em locais onde há fios de cabelo, uma das fontes de alimento destes animais. Já os cupins, deixam rastros de pó granuloso ao roer madeiras ou caminhos de terra que podem ser facilmente reconhecidos.

As pulgas são, insetos sugadores que podem causar alergias através de sua picada. Ratos, gatos e o próprio homem também podem ser seus hospedeiros. O inseto tem a resistência como uma de suas principais característica, por isso, impedir seu acesso é a melhor maneira de prevenir uma infestação.

Aracnídeos

Algumas espécies de aracnídeos, como os escorpiões e as aranhas armadeiras, são consideradas pragas por ameaçarem a saúde do ser humano. As toxinas eliminadas durante sua picada podem provocar alergias e reações capazes de levar certas crianças, idosos ou animais à morte.  Esses predadores normalmente aparecem em residências que possuem alto índice de suas presas, as baratas.

Por isso, para evitar a incidências desses animais, o ideal é eliminar as baratas. “Quando você mata uma aranha armadeira você está matando o efeito e não a causa.  Para proteger sua casas dessas pragas, o especialista sugere a manutenção da limpeza de terrenos e jardins, a instalação de telas nas janelas e o controle preventivo químico próprio para estes animais.

Caramujo africano

Trazido para o Brasil como alimentação, o Caramujo Africano virou uma praga nacional após a má aceitação do público brasileiro seguida de sua rápida propagação. “O animal não foi bem aceito e os criadores soltaram ele no meio ambiente. O problema é que esse animal é competitivo e não tem um inimigo natural aqui”, explica o pesquisador do Instituto Biológico, justificando porque este animal se multiplicou com facilidade por todo o Brasil.

Eles são caramujos de grande porte, de coloração marrom violáceo, se alimentam de uma infinidade de plantas, se proliferam com facilidade e têm preferências por locais mais úmidos.

“A literatura diz que o caramujo africano é transmissor de protozoárias que podem causar, por exemplo, problemas intestinais. Por isso, não se deve colocar a mão nesse animal” adverte o especialista em pragas urbanas.

Evitar o contato com o muco do caramujo africano é essencial para impedir possíveis contaminações, já que não é possível prevenir sua aparição.

ESCOLHA O SEU ESTADO: