fbpx
Pragas Urbanas e a Saúde

Pragas Urbanas e a Saúde

As pragas urbanas, insetos e pequenos animais como baratas, pernilongos, moscas, formigas, ratos entre outros, podem causar muitas doenças ao homem. O contato direto com esses bichos e também com a urina podem transmitir desde doenças de pele, como infecções respiratórias, entre outras doenças, que podem levar até à morte.

As pragas urbanas costumam proliferar desordenadamente em várias cidades do país, e a necessidade do controle destas pragas não é tão somente uma questão de higiene, mas uma preocupação de saúde pública. Conheça mais alguns dos riscos:

As doenças mais conhecidas causadas por pragas urbanas são: a dengue, transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti e a Leptospirose, transmitida através do contato humano com a urina do rato.

Roedores:

Além do prejuízo causado ao se alimentar, os roedores contaminam os ambientes por onde passam através de seus pêlos, fezes e urina com partículas virais que alcançam pessoas por meio da poeira fina solta no ar.

Insetos:

Com um extraordinário potencial de sobrevivência, baratas, pulgas, moscas, mosquitos, traças, entre outros, precisam ser eliminados com diligencia de forma planejada.

Formigas

As formigas domésticas costumam formar seu ninho em eletroeletrônicos por causa da temperatura, podendo muitas vezes danificá-los. E seu pequeno tamanho lhes torna fácil encontrar alimento e abrigo. As formigas são um grande perigo a saúde por transitarem por muitos locais sujos e contaminados, e estão sempre em contato com os humanos.

Cupins

Os cupins têm vida longa: o operário vive até 5 anos, a rainha pode chegar a 20 anos. Os danos causados pelo cupim são em geral consideráveis.

A alternativa mais moderna e, tecnicamente, mais adequada é contratar uma empresa especializada no controle de pragas urbanas. Mas, o risco à saúde que se corre por contratar uma empresa desqualificada de dedetização traz ainda mais danos a saúde que as próprias pragas.

 

A importância do Controle de Pragas na Industria

A importância do Controle de Pragas na Industria

Cada vez mais as indústrias, sobretudo como as farmacêuticas e alimentícias, vêm prestando atenção a fatores relacionados com a higiene, a proteção de materiais e estoques, e o controle de pragas em seus ambientes laborais.

Pragas físicas

Esse grupo inclui espécies e vetores como baratas, cupins, moscas, caramujos e ratos, entre outros. A adoção de ações preventivas é especialmente válida aqui, a fim de poupar ou abater as iniciativas de combate às pestes já instaladas nos ambientes industriais. É necessário evitar que tais bichos tenham acesso à água e a elementos que componham sua alimentação, e por isso a principal medida aqui é a higienização primorosa dos locais. Cada um destes bichos têm a preferência por determinados itens alimentícios, mas quando há detritos, desarrumação e objetos abandonados, proporcionando locais com umidade, calor e sombra, a maioria destas pragas podem aproveitar para surgir e se desenvolver.

É importante ainda impedir o ingresso dessas pragas aos lugares onde funcionam os processos industriais, colocando-se barreiras em frestas das janelas, portas e paredes, fechando os tubos e canalizações, e conferindo criteriosamente os objetos e mercadorias que adentram o local. De outro modo, é possível empregar ações diversas de combate, o que vai depender do tipo e da proliferação da praga, entre as quais armadilhas adesivas, aspiração, aplicação de iscas à base de inseticidas, controle de temperatura, e muito mais.

Sua empresa vem sofrendo com o aparecimento de pragas, mesmo que você esteja tomando as medidas que acha mais adequadas para evitá-las? Você deseja saber mais sobre controle integral de pragas, limpezas técnicas industriais e outros serviços de saneamento ambiental? Fale com o Grupo EMOPS. Temos uma equipe sempre a sua disposição prontos para ajudar você.

Verão e as Pragas Urbanas

Verão e as Pragas Urbanas

O verão esta ai e com ele sempre temos as indesejáveis Pragas Urbanas.

Com o calor, chega também uma lista imensa de pragas urbanas: baratas, ratos, formigas e pernilongos. O consultor infectologista Dr. Caio Rosenthal fala sobre os riscos para a nossa saúde.

Como vão a dengue, a zika e o chikungunya? Os casos caíram este ano, em relação à dengue, possivelmente, pela imunidade adquirida pela população ao tipo de vírus mais presente na epidemia anterior. Os demais vírus (zika, chikungunya) ainda são recentes e não se sabe se a imunidade deve-se à epidemia ou a outros fatores ainda desconhecidos. Infelizmente não existe uma bola de cristal para dizer como será o próximo verão, então o principal instrumento de previsão das autoridades hoje é o LIRAa, uma ferramenta que avalia focos do mosquito da dengue encontrados em blitz nas cidades.

No momento, o RN lidera o ranking com o maior número de cidades sob risco de dengue, zika e chikungunya! As autoridades precisam melhorar o abastecimento de água, a limpeza urbana, o recolhimento de lixo e a população precisa melhorar o descarte e o controle de recipientes de água.

Afastando os mosquitos: as roupas pretas devem ser evitadas porque o mosquito adora se esconder nelas. Ao passar o repelente mais o filtro solar, a ordem é primeiro o filtro, depois o repelente. A Sociedade Brasileira de Medicina do Viajante afirma que os repelentes mais eficazes são a base de Icaridina e Deet. O problema é que muito repelentes não trazem essa informação, que não é obrigatória, ou trazem concentrações mais baixas.

As pragas urbanas e os três “As”:

Água, alimentos e abrigo atraem as pragas urbanas, transmissoras de doenças, que são os ratos, as baratas, os mosquitos e as moscas. A principal fonte dos três primeiros “As” são o lixo e a falta de saneamento e água. As do “abrigo”, a precariedade nas construções. Moscas e baratas podem transmitir verminoses, salmonelose, desinteria e até febre tifoide. Ratos, leptospirose, hantavirose e peste bubônica.

Comprar produtos com menos embalagens ou descartá-los em locais de reciclagem do próprio supermercado ajudam a reduzir o lixo. O lixo deve ser acondicionado em sacos e recipientes fechados e isolados de animais como cães e gatos, que podem furá-lo.

Essa são algumas notícias atualizadas e dicas que o Grupo EMOPS tem para você. Sempre que precisar entre em contato com um especialista da Franquia e-Control e agende uma visita técnica sem compromisso.